image

Sabemos que o sal é péssimo amigo da pressão arterial e que causa diversos males a saúde e que deve ser consumido em pequenas porções e que blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá…

Bom, esta não é bem a verdade, existe muita diferença entre os vários tipos de sal e para saber se ele é ou não o vilão da história não podemos julgar baseado apenas num único tipo de sal.

O brasileiro conhece o bom e velho sal de cozinha, ele funciona e muito bem como tempero e ainda é iodado para evitar problemas de tireoide, sabemos que deve ser consumido moderadamente por causa de suas propriedades que elevam a pressão arterial. Mas porquê?

O Sal de cozinha, acreditem, é um assassino em potencial e vai matá-lo se puder. Esta é a sua missão. Por ser um sal processado ele perde todas as suas propriedades nutritivas e não passa apenas de sódio e não serve para mais nada além de “salgar”. Bom serve sim, para estragar seu corpo, oxidar entre outras coisas. Tá certo, ele é iodado para evitar problemas de tireoide, só não te falaram que o iodo que eles colocam evita apenas e somente o bócio e não ajuda em nada em problemas como hipotireoidismo.

Do sal de cozinha é retirado cada elemento que faria bem a sua saúde e fica apenas o sódio, que causa a elevação da pressão, porque afeta diretamente os rins e não faz mais nada de bom.

Ou seja, evite ao máximo o sal de cozinha!!!

O sal grosso passa a ser melhor que o sal de cozinha, mas o sal grosso normal para churrasco não é muito melhor que o assassino, o refinado.

Para que o sal se mantenha seco nas prateleiras eles retiram todo o cloreto de magnésio, essencial a boa saúde e a vida. NECESSÁRIO!

Isso faz com que o sal fique seco, porém, sem nadica de nada que preste.

Existem alternativas saudáveis e que não são nem de longe vilões, são eles, o Sal Marinho, O sal Rosa do Himalaia e a Flor de Sal.

Estes três citados são em essência os melhores e não, ao contrário do que se pensa, não elevam a pressão e não causam danos à saúde.

clip_image001

O Sal Marinho, quando comprar, atente-se apenas se nele vem escrito “integral” e que não seja refinado. Porque se refinado, significa que foi processado e nele já tem desumidificante e outros produtos. O integral é grosso como o de churrasco e um pouco mais escuro. Ele é produzido através da captação da água do mar, filtrado e destilado (ou, veja abaixo “Flor de Sal”, e destilado naturalmente ao Sol). Assim mantém quase todas as suas propriedades. Ele possui iodo natural e o próprio que devemos consumir, além de outros nutrientes. Em sua compra deve sempre ter em consideração a procedência já que os enganadores estão por aí. Em geral o refinado é sal grosso moído.

clip_image002

O Sal Rosa do Himalaia, é rosa! Hehehe… bom, ele além de rosa, é natural 100%. Melhor que o marinho e sua cor rosa vem do iodo e alguns outros minerais presentes. Ele não é produzido a partir do mar e sim através de mineração, o que o faz antigo e com todas as propriedades preservadas. O único cuidado ao comprar é saber a procedência.

O que é, afinal, o sal rosa do Himalaia?

O sal rosa do Himalaia é colhido nos depósitos milenares de sal, quando o mar chegava às montanhas do Himalaia.A cor vem dos índices elevados de minerais.

Diferentemente dos sais industrializados, são cristais e são recolhidos manualmente, sem sofrer nenhum tipo de refinamento. São fonte natural de mais de 70 oligoelementos, que estimulam os mecanismos de hidratação, além de ativar a diferenciação celular e favorecer a produção de fatores naturais de hidratação da pele.

clip_image003

Fonte: http://www.portalorganico.com.br/artigo/49/sal_do_himalaia_voce_conhece

Na verdade o sal rosa não vem do Himalaia, isso é marketing, ele vem do Paquistão…

Agora vem o especial, a Flor de Sal. Este é o único sal ainda produzido de forma artesanal. A água do mar é captada e fica em um ambiente para evaporação ao sol. Ela produz no processo de evaporação uma espuma que é rica em minerais, nutrientes, magnésio, iodo natural… esta espuma vai sendo retirada a medida que vai evaporando a agua e separada em outro ambiente até se cristalizar formando então a FLOR do SAL. Pura, sem química, sem processamento, nem nada.

clip_image005

O sal que sobra da evaporação é vendido também e é o sal marinho, apenas a “espuma” se transforma na flor do sal. Ela era dispensada antigamente como “ruim sem proveito”.

E claro, mais uma vez vai a dica, sempre verifique a procedência, este sal custa em média R$25,00 cada 350gms, então, se achar muito barato, não compre.

“A flor de sal é um aglomerado de cristais que se forma à superfície da água do mar.1 A sua formação depende das condições atmosféricas, a temperatura e a radiação solar têm de ser elevadas e o vento deve ser suave. Verificando-se estas 3 condições, os minúsculos cristais de sal começam a formar-se à superfície dos cristalizadores. Estes cristais são delgadíssimas palhetas que se desagregam por pressão, que se juntam com o vento, formando uma película branca e brilhante. A sua colheita começa em Junho e é recolhida todos os dias, excepto quando está muito vento, dado que a Flor do sal não se forma, uma vez que não se mantém à superfície. O mesmo acontece nos dias húmidos.

Contém minerais e nutrientes únicos, para além de microcristais que facilitam a digestão e tem a vantagem de ser absolutamente natural, não sendo sujeita a qualquer processo de industrialização, incluindo a lavagem, que remove componentes nutricionais importantíssimos tais como plancton e pequenos restos de esqueletos de minúsculos animais marinhos, grandes fontes de cálcio, magnésio, zinco, cobre, entre outros.”

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Flor_de_sal

Dos três tipos de sal citado o mais fácil de encontrar é o marinho integral e também o mais baratinho de todos, custa em média de R$ 2,00 a R$ 3,00 a mais que o de cozinha normal. Por isso a minha dica é, use o sal marinho na cozinha geral como temperos e outros e a flor do sal ou o rosa do himalaia para saladas, ovos e outras coisas que usam menor quantidade.

Jogue fora o sal de cozinha, ele não serve para nada, nada além de salgar e estragar seus rins.

Na próxima matéria vou falar sobre o óleo de soja, canola, girassol e outros veneninhos usados naturalmente por todos nós.

Related Post

O Sal, o vilão nosso de cada dia…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recentes

Fotografando Fantasmas com a Rapininha Olá meus amigos, esta noite eu e minha filha a Rapininha saí...
Oumuamua, o visitante interestrelar O grande amigo e parceiro do Rapinão e da Toca da Coruja, fe...
Conhecendo as Escrituras – vídeo 08 O Oitavo vídeo da série Conhecendo as Escrituras, Teologia n...
Como observar a constelação de Orion A constelação de Órion é uma das mais belas e conhecidas con...
AVISO IMPORTANTE Fala pessoal da Toca da Coruja, tudo em riba? Esta semana um...